História de sucesso de uma paciente – mudando seu corpo

Data da postagem: 29 de maio de 2013

Gostaria de contar uma história de sucesso de uma paciente e com isso estimular você a seguir as orientações recebidas por ela na clínica.

Recebi esta paciente no ano passado inconformada com seu corpo. O peso estava dentro do que ela desejava, porém a gordura acumulada na região do quadril e abdome lhe incomodava muito. Estava com os níveis de colesterol alterado, muito ansiosa, com falta de memória, dificuldade de concentração e dormia pouco e mal.

Seu peso continua o mesmo, mas o seu corpo não é mais o mesmo. Mas como isso pode acontecer? O que ocorreu é que no ano passado quando verificamos seu nível de gordura corporal ela tinha 46% do peso composto por gordura. Um valor bem mais alto do que os valores aceitáveis.

Durante a conversa lhe expliquei que era preciso fazer exercícios, dormir nos horários corretos, comer alimentos integrais, fazer um número restrito de refeições, retirar os estimulantes, fazer uso de suplemento de vitamina D, beber água na quantidade suficiente e aprender a respirar. Aos poucos ela veio implementando as mudanças necessárias. Ainda não terminamos o tratamento, mas hoje ela pode dizer que é uma nova mulher.

Vamos entender as mudanças propostas.

Exercício:

Para mudança da composição corporal é necessário fazer atividade aeróbica e anaeróbica. Muitos pensam que se começarem a correr seus problemas estarão resolvidos, este é um ledo engano. A atividade aeróbica ajuda a aumentar o gasto calórico, o que favorece a redução do peso, mas não é o suficiente é preciso fazer musculação. E foi isso que a paciente fez, na parte da manhã fazia musculação e a noite depois da jantar realizava os exercícios aeróbicos.

Sono:

É durante o sono que seu corpo realiza os processos de regeneração evitando o envelhecimento precoce. Mas também é durante o sono que o corpo consegue controlar o Cortisol. Este é o hormônio do estresse. Quando alterado na corrente sanguínea ele impede a reconstrução da massa muscular que foi trabalhada durante o dia e ainda pode promover a quebra de musculatura, piorando sua composição corporal.

Precisamos dormir cedo, o horário ideal é inviável para a grande maioria, mas preciso indicar o melhor e você buscar fazer o melhor, seguindo tudo que está dentro das suas possibilidades. Deveríamos dormir por volta das 21h30min permitindo ao corpo expressar o máximo do seu potencial durante a noite.

Alimentos integrais:

Estes foram os alimentos que até o surgimento da indústria alimentícia forneceu a nutrição para as gerações anteriores a nós. E vale uma reflexão analisando como era a qualidade de vida deles. Não tinham tantos recursos da ciência para tratar doenças, mas também não havia tantas doenças como hoje. Diabetes, obesidade, hipertensão e câncer eram doenças inexistentes ou pouco prevalentes.

Os alimentos integrais proporcionavam uma saciedade muito maior do que os refinados que estão na mesa de quase todos os brasileiros. Estes alimentos refinados não proporcionam saciedade e geram a necessidade de comer a cada três horas. É claro que este novo sistema de alimentação não é saudável, gera desgaste dos órgãos da digestão que logo vão entrar em processo de falência.

Água:

É fundamental beber quantidade suficiente de água. Muitos comem no meio da manhã ou da tarde porque estão com sede, não é fome. Como isso ocorre? O corpo manda mensagem lhe avisando que faz tempo que você não bebe água, mas você ignora a mensagem, ele insiste novamente e mais uma vez você diz não. Neste momento então ele lhe envia uma mensagem de fome e… prontamente você responde comendo uma fruta ou iogurte, estes alimentos são ricos em água e seu corpo fica feliz porém você não, pois além da água foi ingerido calorias que vão favorecer o ganho de peso.

Respiração:

Quando leu respiração pode ter surgido em sua mente um ponto de interrogação questionando como a respiração pode favorecer a redução do peso e a mudança corporal. Mas o que ocorre é que conforme as primaveras da vida se passaram esquecemos como é respirar de maneira adequada e isso gera um grande problema para o corpo.

O cérebro é um órgão que pesa apenas 2% do peso, isso se você está no peso ideal, mas consome 20% de todo oxigênio que inala e quando a respiração não é ideal oferecemos pouco oxigênio para o cérebro e podemos aumentar o cortisol, este é o hormônio do estresse e acabamos muitas vezes ansiosos e comendo por impulso.

Estimulantes:

Cuidado com o uso dos alimentos estimulantes, eles podem dar uma falsa impressão de que ajudam a perde peso. Todo e qualquer estimulante aumenta o cortisol e vimos acima que podemos comer por impulso, mas mais do que isso o cortisol elevado promove quebra da sua massa muscular e parte dela é usada para produzir glicose. O aumento de glicose estimula o processo da lipogênese, ou seja, a formação de gordura que depois de produzida vai ser depositada no tecido adiposo.

Emagrecer com estimulante não é garantia de emagrecimento saudável. O que quero dizer é que você vai emagrecer, mas em pouco tempo o peso perdido começa a ser recuperado, vem então o temível efeito sanfona. O grande problema é que você perdeu muito músculo e ganha agora gordura, ficando cada vez mais difícil perder peso em futuras tentativas.

Vitamina D:

A vitamina D é fundamental para o bom funcionamento do cérebro, sua falta pode gerar ansiedade e depressão. Para pessoas que querem emagrecer ela é um poderoso auxílio pois pode diminuir o desejo de compulsão pelo alimento.

Conclusão:

Mudar o corpo não depende apenas do que você come ou deixa de comer, mudar o corpo depende de como você vive. Por isso escolha hoje viver de maneira mais saudável.

Pergunta:

Gostaria de convidar você amigo ou amiga leitor (a) a responder abaixo uma pergunta.

Se você já fez dieta alguma vez na sua vida a segunda tentativa ou outras ainda tiveram mais ou menos sucesso?

Obrigado por sua contribuição e forte abraço.

Imagem: www.shutterstock.com

Categorias: